domingo, 23 de novembro de 2014

SESSÃO NA CÂMARA TEVE DE TUDO UM POUCO!



video


Depois de duas semanas sem a realização sessão na Câmara Municipal, os trabalhos no legislativo voltaram a normalidade ontem (22). A pressão feita por professores e vereadores da oposição surtiu efeito, e o plenário da Câmara Municipal esteve lotado, assim também como tem sido de costume, a galeria da casa ficou completamente tomada, por populares, entre eles os professores que mais uma vez marcaram presença e ainda levaram um lanche para os presentes.

Sessão:  Após aberto os trabalhos, o vereador presidente da Câmara Mazinho Rocha, fiel escudeiro da prefeita Marly Sousa, acusou de forma explicita os professores de terem invadido as dependência da casa na última sexta feira passada (14) , Reveja aqui a matéria: 
Como não bastasse o presidente da casa Mazinho Rocha, sob fortes vais dos presentes, disse que irá daqui pra frente fiscalizar os professores em sala da aula, pra saberem se realmente estão cumprindo com o seu dever profissional, durante todo o pronunciamento, o vereador  Mazinho Rocha foi vaiado pelos presentes na galeria!
Aproveitando a permissão dentro da fala do vereador Mazinho Rocha, o vereador Iram Vale fez um breve pronunciamento.

Já os oposicionistas Idelfonso Ferreira e Plínio Oliveira, aproveitaram o momento para pressionar a presidência da casa , no que diz respeito as reivindicações dos professores. Plínio Oliveira enfatizou que também acompanhará o vereador Mzinho Rocha, nas visistas de fiscalização : " Enquanto V.Ex.ª (Mazinho Rocha , estiver fiscalizando o trabalho dos professores, aproveitarei para fiscalizar problemas graves como: A falta de merenda escolar; A falta de água nas escolas; A falta de ventiladores nos interiores das salas de aula;A falta de vasos sanitários nos banheiros , entre outros"   declarou o vereador Plínio Oliveira

Um outro impasse apontado por Plínio Oliveira, foi sobre a tentativa da presidência da casa, de impedir que a representante da classe de professores, seja ouvida em plenário e coloque para todos de maneira formal as reivindicações, sobre isso Plínio Oliveira se respaldou no regimento interno da casa que diz, que qualquer entidade pode sim, ser ouvido  no plenário daquela casa. 

Já o vereador Idelfonso Ferreira, reforçou mais uma vez a necessidade e obrigação do vereador para com a sociedade, em fiscalizar e apurar, todos os serviços públicos. " Quando fui eleito vereador , sabia dos desafios , perseguições que eu teria que enfrentar, por isso escolhi ficar do lado da população. Vou continuar fazendo o meu papel de vereador, para isso fui eleito, não sou contra funcionário público, sou contra a falta de estrutura e segurança a que os servidores da saúde, em especial do Hospital  vem passando, imagine o desespero de um pai ao ver seu filho agonizando, sem ter uma ambulância, ou um médico, saindo a situação de controle , o perigo é eminente para os funcionários " ressaltou o vereador Idelfonso Ferreira!

No fim algumas questões ficaram bem claras:

1 - Os vereadores da oposição, vão ser cada dia que passa, uma pedra no sapato da Prefeita Marly Sousa, cobrando e brigando pelos direitos da população.


2 - Os Professores não desistiram dos seus objetivos, até que suas reivindicações sejam ouvidas através do representante legal da entidade e não desistirão de ter seus direitos respeitados pela atual gestão.

3 - Os vereadores da base aliada, não estão nada satisfeitos, em verem a população cada vez mais presentes nas sessões da Câmara Municipal, vendo a verdadeira face daqueles que não tem interesse nenhum de fazerem valer, os direitos legais da população.